Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Unespar e Secretaria da Cultura discutem parcerias

Geral

Unespar e Secretaria da Cultura discutem parcerias

Geral, Extensão

por publicado: 02/08/2017 10h00 última modificação: 02/08/2017 14h13
Visita ao  Palacete Mathias Bohn

Visita ao Palacete Mathias Bohn

Desenvolver projetos de pesquisa e extensão, sobre patrimônio material e imaterial do litoral paranaense e outros temas que aproximem a comunidade em torno da identidade litorânea, são algumas das possibilidades da parceria que está sendo construida entre a Unespar e a Secretaria de Estado da Cultura. Em reunião realizada, no dia 01 de agosto, no campus de Paranaguá, o vice-reitor Sydnei Kempa, o Diretor do Museu Paranaense Renato Augusto Carneiro Júnior,Cleverson Molinari Mello - Diretor de Campus, Moacir Dalla Palma, Diretor de Centro de Área de Ciências Humanas, Biológicas e da Educação e professores dos cursos de história, letras, biologia e pedagogia debateram as possibilidades de realização de projetos conjuntos de pesquisa e extensão no Palacete Mathias Bohn, em Paranaguá.

Processo de cessão de uso, está em tramitação na Secretaria de Estado da Cultura e permitirá a utilização do espaço pelos cursos do Campus de Paranaguá, para exposições, eventos e pesquisas sobre a cultura do litoral paranaense. Para o vice reitor, Sidney Kempa a parceria entre a Unespar e a Secretaria de Cultura permitirá o desenvolvimento de projetos interdisciplinares que agreguem todos os cursos do campus e que contribuam para a revitalização do espaço.

O Palacete Mathias Bohn, localizado na Rua da Praia, foi construído no início do século XIX e faz parte do conjunto arquitetônico do Centro Histórico de Paranaguá, tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em dezembro de 2009. A construção original, com características da arquitetura luso-brasileira, teve sua fachada reformada no início do século XX, quando foi adquirido pelo empresário alemão Mathias Böhn. O comerciante conferiu ao imóvel uma ornamentação característica do ecletismo arquitetônico, configuração mantida até hoje. Seus dois pavimentos eram destinados ao uso comercial (térreo) e residencial (andar superior), distribuição característica da época. Anteriormente, o prédio já havia sido sede da Prefeitura de Paranaguá, da Câmara Municipal e da Alfândega Portuária.