Você está aqui: Página Inicial > Notícias > CEDH emite notas de repúdio, luto e pesar na educação

Geral

CEDH emite notas de repúdio, luto e pesar na educação

Geral

publicado: 14/03/2019 18h51 última modificação: 15/03/2019 14h35

O Centro de Educação e Direitos Humanos (CEDH) da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) vem a público externar o mais profundo pesar em face da tragédia ocorrida nesta quarta-feira, 13 de março de 2019, na Escola Estadual Professor Raul Brasil, no Jardim Imperador, na cidade de Suzano -SP, e se solidariza com as famílias das vítimas, docentes, estudantes e amigos. Assim como a comunidade escolar de Suzano, o CEDH e toda comunidade acadêmica da Unespar está em choque diante de tamanha brutalidade e manifesta seu o repúdio a qualquer tipo de violência. Reforçamos nossa expressão de pesar pela perda precoce dessas vidas humanas, lembrando também a perda de Marielle Franco, que no dia 14 de março completou um ano, ocasião em que reafirmamos nossa convicção na Educação e na garantia dos Direitos Humanos para todas as pessoas como o caminho para a transformação social que almejamos.

 O CEDH expressa também seu repúdio às declarações do Senador Major Olímpio (PSL), que afirmou, no dia 13 de março de 2019, que o massacre ocorrido na Escola Estadual Professor Raul Brasil poderia ter sido evitado caso professores e funcionários estivessem armados. Entendemos e valorizamos o direito à expressão, mas também, e muito, o dever de agir com responsabilidade social. O CEDH Unespar repudia sensacionalismos simplistas diante da dor dos familiares e da indignação social, em face da importância e complexidade da questão. Não bastasse a declaração ser pautada na cultura do ódio, ela ainda está na contramão dos fatos mundiais que denunciam a impossibilidade de correlação entre maior armamento da população e diminuição desse tipo de ataque, a exemplo dos inúmeros dados disponíveis sobre o que ocorre na sociedade norte-americana. O Centro de Educação em Direitos Humanos da Unespar reafirma sua firme posição contrária a toda e qualquer ação ou discurso que incite ódio e violência, entendendo que estes não são caminhos para o diálogo qualificado sobre a convivência entre seres humanos em uma sociedade que se pretende mais igualitária, inclusiva e capaz de construir e preservar uma cultura de paz.