Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Projetos tecnológicos para melhoria do serviço da PM são apresentados pelos cadetes durante mostra científica em Curitiba

Geral

Projetos tecnológicos para melhoria do serviço da PM são apresentados pelos cadetes durante mostra científica em Curitiba

Geral

por publicado: 12/02/2015 18h44 última modificação: 30/10/2018 12h10

Por Marcia Santos
Jornalista PMPR

Os cadetes do 3º anos do Curso de Formação de Oficiais da Academia Policial Militar do Guatupê (APMG) apresentaram nesta quinta-feira (07/06) no ginásio do Quartel do Comando-Geral da PM, em Curitiba (PR), os projetos acadêmicos para a I Mostra de Iniciação Científica e Tecnológica. Os dispositivos criados visam aprimorar o serviço operacional da Polícia Militar e, consequentemente, o atendimento ao cidadão.

A Comandante-Geral da PM, coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, e o secretário Chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato, abriram a exposição e enalteceram o incentivo ao desenvolvimento de dispositivos que podem contribuir com o trabalho policial nas ruas, beneficiando o cidadão.

“Com atividades como esta estimulamos a criatividade, o desenvolvimento e o potencial dos cadetes que se tornarão em breve oficias da Polícia Militar. Procuramos desenvolver dentro da própria instituição algumas ideias que podem atender as nossas necessidades específicas com uma visão sistêmica a um custo mais em conta”, disse a coronel Audilene.

O capitão Eduil Nascimento, que ministra as disciplinas de Novas Tecnologias e Comunicações na Escola de Formação de Oficiais (EsFO), o nível de formação acadêmica dos cadetes se eleva e permite que soluções práticas sejam criadas para solucionar problemas da Corporação.

“Esse é um resultado da área de tecnologia aplicada no ensino, a carga horária total do CFO são três anos e tem uma série de disciplinas diversificadas, treinamento em direito, a parte de tiro, a parte específica da Polícia Militar. Com essa iniciativa acabamos entregando para a sociedade um jovem oficial que tem o mínimo de conhecimento de tecnologia, de como aplicar recursos tecnológicos já existentes de forma a resolver problemas”, acrescentou o capitão.

A coronel Audilene, acompanhada pelo Chefe da Diretoria de Pessoal, coronel Everon Puchetti Ferreira, e pelo Diretor de Ensino e Pesquisa e Comandante da APMG, coronel Mauro Celso Monteiro, visitou cada trabalho dos cadetes e testou os dispositivos que foram desenvolvidos.

Um dos projetos é o uso da plataforma Raspberry I3 como tecnologia embarcada nas viaturas para consulta de informações e elaboração de Termos Circunstanciados de Infração penal (TCIP) a um custo baixo. O objetivo dos cadetes Tiago, Ramos, Serena, Araújo e Ferreira é que o atendimento às ocorrências seja otimizado, evitando o retrabalho da lavratura de ocorrências e de TCIPs. “Foi implementar uma tecnologia, adaptar uma tecnologia que já exista, que possa ser utilizada na atividade da Polícia Militar, e que melhore a nossa capacidade de atendimento ao cidadão”, disse o cadete Ferreira.

O custo para colocar o serviço em atividade numa viatura seria em torno de R$ 700,00, incluindo a conexão VPL para consulta aos sistemas internos da corporação. “Em uma escala maior para a aquisição desses equipamentos o preço fica reduzido. O próprio computador custaria no exterior U$ 20,00 dólares, aqui no Brasil nós gastamos R$ 250,00 a unidade”, acrescentou o cadete.

Outro projeto foi o binóculo de realidade virtual apresentado pelos cadetes Rodrigues e Gumbowski. “O nosso instrutor trouxe a sala de aula várias perspectivas de tecnologia com aplicação em segurança pública. Com isso desenvolvemos um trabalho em parceria com uma empresa privada para gravar uma simulação de abordagem padrão com uma câmera que grava 360º graus a fim de que, com o binóculo, o aluno possa aprender a técnica com o maior realismo possível”, descreveu Gumbowski.

*Colaboração: Jasson Wolff - Auxiliar de Comunicação